Não compre, plante

Nos anos 90 o Planet Hemp tinha no seu primeiro disco Usuário o lema “Não compre, plante“, claro que Marcelo D2, BNegão e cia estavam falando de maconha e tudo mais. Mas recentemente tenho visto vários amigos com a mesma filosofia em relação a P2P e compartilhamento de arquivos online. É como se fosse algo normal, falar:

Eu não compro CD/DVD pirata no camelô. Eu baixo e mantenho meu link aberto para as pessoas poderem baixar também.

Embora concorde com o argumento, achei estranho a similaridade. Antes que os puristas venham falar que estou fazendo apologia a drogas, ao tráfico ou à pirataria, acho que vale a pena entender melhor o que quero dizer.

Camelôs levam para o asfalto o produto que vai lhe render um trocado e garantir o sustento de sua família. Quem leva mais dinheiro com isso não é ele mas sim as pessoas que estão acima dele. Se vacilar, ele mesmo nem é um consumidor de tais produtos. E esses mesmos produtos se encontram originalmente em outro ambiente que ele não transita ou tem os contatos para isso.

Substitua o termo camelô do trecho acima por traficante e entenda porque o paralelo faz sentido.

Pensando dessa forma, toda e qualquer racionalização do tema em torná-lo mas polêmico fica mais fácil. Camelôs são traficantes de cultura. Só que a única coisa que não falam é que o preço do ingresso do cinema é proibitivo, que o preço de um CD/DVD para a maoir parte da população, idem. E, ao contrário de um traficante de drogas, cujos produtos quando consumidos (exageradamente ou não, essa não é a questão) fazem realmente mal à saúde, o traficante de cultura se torna um tanto quanto do bem. Quase um Robin-Hood. Fica cada vez mais difícil colocar esses caras como os principais culpados da pirataria.

Então, concluindo o raciocínio, Não compre, Plante mas também não desmereça os caras que estão na batalha. São produtos de qualidade duvidosa? as vezes sim, outras não. Mas na real, além de tentar sufocar esse movimento, o que as gravadoras e distribuidoras de filmes têm feito a respeito além de ameaçar o usuário? Manda esses caras aprenderem um pouco mais sobre Creative Commons. O mundo mudou.

Esse post inteiro foi feito apenas para comunicar que achei um site bem interessante 

1 thought on “Não compre, plante”

  1. A internet chegou a tempos e as gravadoras ainda teimam pelo tradicional. Ouvi uma conversa uma vez sobre voltarem para os LP’s, bizarro…

    Site interessante!

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.