Passando o recado por Videografismo.

Eu já tinha falado do site Change This e nesse mesmo post tinha citado o manifesto How to Be Creative. Bom, alguém pegou um trecho do manifesto e fez uma animação. Embora eu não goste muito da trilha e o ritmo da edição usado, acheia idéia bacana. No final até que vale como referência.

Outro que eu recebi da MaWá tem outros “problemas”. Embora tenha gostado do roteiro, não gostei da realização. Com certeza alguém já falou isso mas um vídeo que começa perguntando se tenho 30 segundos e que dura 1:34 honestamente me parece algo estranho.
O roteiro é ótimo. concordo com quase tudo que está lá e novamente o ritmo da animação é que faz o vídeo parecer longo. Um vídeo que fala da comunicação na vida moderna tem um efeito que simula um projetor de película velho também me chamou a atenção. Acaba sendo um recurso, nesse caso, desnecessário.

O primeiro está rapido demais e o segundo lento demais. Não sou expert, provavelmente não saberia fazer o primeiro filme mas estou analisando como espectador. E tudo o que escrevi pode estar errado, mas essa foi a minha impressão.

E cada vez eu tenho mais certeza de que eu terei que criar uma categoria para Videografismo ou Motion Graphics por aqui.

1 thought on “Passando o recado por Videografismo.”

  1. Você tem razão nas duas críticas ao talkability.
    Sem tentar justificar, explico:
    O tempo de duração não era realmente uma preocupação, já que a gente usa esse vídeo em apresentações da agência, para [futuros] clientes que nos deram mais do que 30 segundos para conhecer nosso trabalho.
    Mas é inegável que essa contradição existe.
    QUanto à segunda crítica, apesar de concordar com sua leitura de que um vídeo que fala de comunicação nos tempos modernos não deveria ter uma “pegada” de película, existe uma outra leitura – que foi como concebemos. Estamos falando com clientes habituados a aprovar a propaganda tradicional. A dos filmes, a dos comerciais de trinta. O ‘noise’ e a película velha nos ajudam a reforçar a idéia de como este tipo de interação com o consumidor está superada.

    De qualquer forma, valeu por divulgar!

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.