Hoje ao ler a Ilustrada da Folha de SP, dei de cara com duas notícias que me chamaram a atenção. Uma cuja chamada era focada totalmente na polêmica e outra que de tão óbvia me chegou a deixar perplexo, tratando-se de uma empresa de comunicação.

Vamos lá, a primeira notícia, com chamada de capa e tudo:

Último CD de Sandy & Junior é tão bom quanto Coldplay

Matéria do Thiago Ney pronta para causar desconforto, polêmica e debates tanto na internet quanto fora dela. Já estou prevendo um dia de debates nas listas de discussão de música. O filhote de Lucio Ribeiro parece ter finalmente conseguido. Juntar Sandy & Junior e Coldplay numa mesma frase vai enfurecer os indies. Bem feito. Em tempo, essa frase para mim só confirma uma coisa que eu já achava. Como não gosto de Coldplay, tanto faz, né?

Já a outra notícia que me chamou a atenção foi na coluna do Daniel Castro:

Globo proíbe conversa sigilosa em elevador

Francamente, isso é básico. Não sei bem o que é pior, a Globo demorar tanto tempo para identificar a origem de todos os vazamentos de informação ou a Folha (e esse blog) dar tanto destaque a essa notícia.. Quero ver é conseguir fazer isso acontecer. É uma mudança cultural violenta e é capaz de funcionar apenas no alto-escalão. Olha um trecho do documento (e da matéria):

Os funcionários são orientados a “protegerem adequadamente” as “informações faladas: em elevadores, táxis, bares e restaurantes, aviões, ligações telefônicas, banheiros, festas, dentro e fora da TV Globo, reuniões com amigos etc.”.
“Devem ser evitadas reuniões em locais públicos, como também evitar tratar de assuntos classificados como confidenciais/restritos em saguões de aeroportos, rodoviárias, dentro de transporte público, na frente de terceiros”, além de “telefones públicos”, declara. Recomenda-se o duplo envelopamento e o uso da criptografia em mensagens eletrônicas.

Imagina só um produtor tentando resolver um problema por celular e tendo que falar baixo, não podendo falar informações cruciais de uma cena enquanto está no táxi, esperando um avião ou até mesmo andando pelo Projac.

Notícias bobas, sem importância, mas que me chamaram a atenção em um dia como hoje.