As apresentações feitas pelo pesquisador da Nokia Jan Chipchase são hiper bem feitas e com uns dados curiosos sobre o mundo mobile. Na última ele analisa onde as pessoas carregam seu celular e o impacto dessa escolha. Você pode ver o post e baixar a apresentação em PPT ou PDF no site dele.

Mas o que eu achei interessante foi ver que Milan(ou Milão), uma cidade ícone da moda e tal tem uma porcentagem maior de uso de prendedores de celular em cinto do que Tokyo (4% e 0% respectivamente) e que também em capas de celular os japoneses tem menos uso do que os norte-americanos de LA (0% Japão e 10% LA).

Aí fiquei na dúvida, será que os japoneses são mais cool e antenados por causa da sua relação com tecnologia? Será que, como eles devem comprar mais aparelhos e tal, eles não ligam tanto para esses itens que são, teoricamente, para proteção? Será que essa é a razão do seu despreendimento? Ou será que os pesquisados em LA e Milan foram os rejeitados do mundinho fashion?

Já quando o assunto é personalização, toda a teoria fashion cai por terra. O Japão lidera o uso no mundo daquelas cordinhas presas ao celular com bichinhos e etc com 68%, enquanto em LA esse uso é de apenas 9%. Ou então, em alguns meses, o mundo todo estará usando essas cordinhas com a sua personalização. Vai saber.

A importância do Japão nas tendências da cultura pop são claras e óbvias. A revista Wired tem uma seção fixa na revista que serve como um pequeno radar do que está acontecendo entre os adolescentes japoneses.

Não sei bem onde começa e termina isso tudo mas as apresentações do Jan Chipchase são sempre muito legais mesmo.