Mais de 2 milhões de scraps, mais de 40 mil downloads do Melô do Viagra a tal da Katilce ou deve estar se sentindo a dona do mundo ou deve estar em casa em Volta Redonda escondida do assédio e tentando ler seus scraps. Mas acho que alguém deve dizer a ela que esse negócio de fama na internet é besteira.
Alguém pode avisar para ela que a fama na internet é ainda mais efêmera que no mundo real? Mas as consequências de um boom no mundo virtual são muito mais cruéis.
Não sei quanto tempo vão lembrar da Katilce mas dificilmente ela vai conseguir mudar de vida através da fama da internet. E o histórico dela náo está mais preso num porão da editora de um jornal ou de uma revista. Agora a vida dela está na mão de qualquer pessoa com um modem e um computador.

Kottke
O Kottke que há um ano pediu dinheiro aos seus leitores para viver apenas do blog e fazer um trabalho bacana e único e agora percebeu que, como o o tráfego/audiência do blog não aumentou, ele não tem com pedir dinheiro novamente para seus leitores. As centenas(ou milhares) de micro-patrons do seu blog. Ele diz que a sua vida mudou e que como não atingiu suas metas e promessas, não sabe o que fazer com kotke.org.

Tudo começou assim em 22 de fevereiro de 2005

I recently quit my web design gig and — as of today — will be working on kottke.org as my full-time job. And I need your help.

I’m asking the regular readers of kottke.org (that’s you!) to become micropatrons of kottke.org by contributing a moderate sum of money to help enable me to edit/write/design/code the site for one year on a full-time

E terminou assim

So the year is up and I’ve been trying to think about what to say on this occasion for, oh, about six months now, but I’m undecided even now. I guess I’ll start with the important bit.

I’m not going to be asking for contributions again.

O Kottke tentou algo, não conseguiu, deu sua justificativa e mesmo assim, não caiu bem com seus leitores e micro-patrocinadores.Vamos ver qual será seu próximo passo.

Se eu fosse ele tentaria algo como o MrManson e apostaria forte nos sites de leilão. Não é todo mundo que tem o PR dele ou sua influência. Essa é a sua principal moeda. Depois da polêmica e do humor, é claro.

Acho que o Gawker é um marco realmente. Depois dá uma lida nessa materia da New York e me diz o que achou. Dá vontade de parar tudo, né? Blog para quê?