É difícil não concordar com a maioria. O filme é muito bom. Bem produzido, bem editado, sensível e com soluções atípicas para um filme que poderia ser mais um do tipo do O Informante.
Esse filme está nos detalhes. Atuação soberba do Ralph Fiennes. Meirelles filma muito bem a África, a sua pobreza e compõe a história de forma interessante.
Saí do filme derrubado, olhos cheios d’água e pensando muito em alguns aspectos da minha vida. Poucos filmes mexeram tanto comigo. Esse ano, talvez Crash que por sinal estréia fim de semana que vem e teve uma boa crítica na Veja dessa semana.
Os trailers de O Jardineiro Fiel que me chamaram a atenção foram:
Cidade Baixa – Pretendo assistir ou na Mostra ou quando estrear no circuito mesmo.
Elizabethtown – Último filme do Cameron Crowe. Promessa de filme interessante. Kirsten Dunst e Orlando Bloom. Comédia romântica sem compromisso.
Habana Blues – outro da Mostra. Gostei do trailer. As críticas também são boas. Quando começou o trailer eu jurava que seria algo como o Albergue Espanhol.

No DVD eu assisti o Meu tio matou um cara. Jorge Furtado em mais um filme com narração em off. Bacana, bem ao estilo dele mas com marcas profundas da co-produção da Natasha. Parece um pouco global de mais. Ainda prefiro Houve uma vez dois verões e O Homem que copiava